UM GIM-TÓNICO PARA A MAMã. DIÁRIO DE UMA MãE DESCONTROLADA
ebook

UM GIM-TÓNICO PARA A MAMã. DIÁRIO DE UMA MãE DESCONTROLADA

Editorial:
HARLEQUIN IBÉRICA PORTUGAL
Materia
Ocio/Tiempo libre
ISBN:
978-84-9139-293-4
Páginas:
384
Formato:
Epub
Derechos eBook:
Copiar/pegar: Prohibido.
Imprimible: Prohibido.
DRM
Si
Colección:
HARPERCOLLINS PORTUGAL | HARPERCOLLINS PORTUGAL

p>Um gim-tónico para a Primeiro dia de escola. Este ano, vou acertar em cheio em todos os assuntos da escola das crianças. Consigo aguentar tudo! Este ano não vai repetir-se o que aconteceu no ano passado. Sim, este ano, vai ser definitivamente melhor: Não vou gritar com as crianças, deixá-las comer batatas fritas ou brincar com os iPads. E, certamente, não vou deixar-me cair no sofá no fim do dia, bebendo vinho e murmurando «Que nojo de vida!» repetidamente. Infelizmente, ainda não consegui comprar as lancheiras ou marcar as aulas de jiu-jitsu e ainda terei de começar a gostar de chá verde (parece-me asqueroso). Também ainda não sei fazer tranças, mas tenho a convicção serena de que esses são apenas meros detalhes dentro do meu grande plano mestre?

Bem-vindos ao mundo da mamã...

O papá gosta de gadgets; o pequeno Peter e a pequena Jane gostam de provocar incêndios, tentar matar-se um ao outro e fazer com que a mamã tenha de beber uns copos; e o que a mamã precisa é de descansar e desconectar-se...

A mamã fez 39 anos. O que vê à sua frente é um futuro deprimente, cheio de convites para assistir a aulas avançadas de ioga e para clubes de leitura educadíssimos onde todos afirmam estar «alegres» depois de um copo de Pinot Grigio e dizem coisas como: «Vá lá! Não me digas que vais beber outro copo!»

Contudo, a mamã não quer entrar nesse crepúsculo de mulheres com penteados sensatos que «vivem para os seus filhos», que competem no pátio da escola a falar das suas façanhas e das atividades extracurriculares dos seus rebentos e que se gabam das suas férias mais recentes. Nem pensar, o que a mamã faz é agarrar num bom copo de vinho e resmungar «Que nojo de vida!» várias vezes. Até se lembrar da ideia fantástica que teve...